MINISTÉRIO DO TRABALHO PROIBE IMPOSTO SINDICAL DE SERVIDORES

21/01/2013 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO DECIDE: PROIBIDA, A PARTIR DE 2013, CONTRIBUIÇÃO/IMPOSTO SINDICAL PARA SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICO.
Esta recente medida do Ministério do Trabalho e Emprego que passou a vigorar a partir do dia 15/01/13 e torna sem efeito a Instrução /Normativa do MTE Nº 01, DE 30 DE SETEMBRO DE 2008 - DOU DE 03/10/2008 que determinava o recolhimento do imposto sindical anual. /Apenas a título de esclarecimento, lembramos que o desconto associativo permanece e depende da anuência do profissional, mas o imposto sindical (normalmente descontado no mês de março e correspondente a um dia de trabalho) foi proibido, repetimos, pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Abaixo, seguem as duas Instruções Normativas do MTE.


A Instrução Normativa publicada no Diário Oficial de ontem aponta, ainda, que é de competência do Ministério do Planejamento, orçamento e Gestão a eventual edição de ato que vise regulamentar a cobrança de contribuição sindical dos servidores e empregados públicos.



INSTRUÇÃO NORMATIVA MTE Nº 01, DE 14 DE JANEIRO DE 2013 - DOU DE 15/01/2013

O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO, no uso das suas atribuições legais e tendo em vista o disposto no inciso II do parágrafo único do art. 87 da constituição, e CONSIDERANDO o teor do Despacho do Consultor-Geral da União nº 379/2011, que aprovou o DESPACHO Nº 96/2010/FT/CGU/AGU, recomendando providências para tornar sem efeito a Instrução Normativa nº 1, de 3 de outubro de 2008, expedida pelo Ministro de Estado do Trabalho e Emprego;

CONSIDERANDO que o tema foi novamente submetido à análise da Consultoria-Geral da União em outubro de 2012, oportunidade em que foi ratificado o entendimento por meio do Parecer nº 09/2012/MCA/CGU/AGU, aprovado pelo Despacho do Consultor-Geral da União nº 003/2013;

CONSIDERANDO que a Consultoria Jurídica deste Ministério manifestou-se por meio da NOTA Nº 243/2012/CONJUR- MTE/CGU/AGU no sentido de que sua atuação é subordinada tecnicamente aos ditames delineados pela Consultoria-Geral da União e que, nessa linha, igualmente recomenda a providência sugerida;

CONSIDERANDO que tramita no Congresso Nacional projeto de decreto legislativo destinado a sustar a Instrução Normativa nº1, de 2008, com fundamento no excesso do exercício do poder regulamentar, conforme está previsto no art. 49, V, da constituição.

CONSIDERANDO, ainda, a competência do Ministério do Planejamento, orçamento e Gestão para eventual edição de ato que vise regulamentar a cobrança de contribuição sindical dos Servidores Públicos; resolve:

Art. 1º Tornar sem efeito a Instrução Normativa nº 1, de 30 de setembro de 2008, publicada no Diário Oficial da União de 03 de outubro de 2008, Seção 1, p. 93.

Art. 2º Esta Instrução Normativa entra e vigor na data de sua publicação.

CARLOS DAUDT BRIZOLA


_____________________________________________________________________________________



INSTRUÇÃO NORMATIVA MTE Nº 01, DE 30 DE SETEMBRO DE 2008 - DOU DE 03/10/2008 - SEM EFEITO
Tornado Sem efeito pela IN MTE Nº 01, DE 14/01/2013
Dispõe sobre a cobrança da contribuição sindical dos servidores e empregados públicos.
O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, II, da Constituição Federal; e

CONSIDERANDO a competência estabelecida no artigo 610 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, que permite a este Ministério a expedição de instruções referentes ao recolhimento e à forma de distribuição da contribuição sindical;

CONSIDERANDO a necessidade de uniformizar o procedimento de recolhimento da contribuição sindical, prevista nos artigos 578 e seguintes da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, pela administração pública federal, estadual e municipal;

CONSIDERANDO que a exclusão dos servidores estatutários do recolhimento da contribuição sindical viola o princípio da isonomia tributária, previsto no art. 150, II da Constituição Federal de 1988;

CONSIDERANDO que os acórdãos proferidos nos RMS 217.851, RE 146.733 e RE 180.745 do Supremo Tribunal Federal determinam que "facultada a formação de sindicatos de servidores públicos (CF, art. 37, VI), não cabe excluí-los do regime da contribuição legal compulsória exigível dos membros da categoria";

CONSIDERANDO que o Superior Tribunal de Justiça, no mesmo sentido do Supremo Tribunal Federal, vem dispondo que "A lei que disciplina a contribuição sindical compulsória (“imposto sindical”) é a CLT, nos arts. 578 e seguintes, a qual é aplicável a todos os trabalhadores de determinada categoria, inclusive aos servidores públicos", conforme os acórdãos dos Resp 612.842 e Resp 442.509; e

CONSIDERANDO que os Tribunais Regionais Federais também vêm aplicando as normas dos art. 578 e seguintes da CLT aos servidores e empregados públicos, resolve:

Art. 1º Os órgãos da administração pública federal, estadual e municipal, direta e indireta, deverão recolher a contribuição sindical prevista no art. 578, da CLT, de todos os servidores e empregado públicos, observado o disposto nos artigos 580 e seguintes da Consolidação das Leis do Trabalho.



Art. 2º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação.

Veja também

Nota sobre o atual governo

Nota sobre o atual governo

08/09/2016 - Não é fácil fazer política em um país como o Brasil. Principalmente política que se sustenta na ch...

REUNIÃO DESCENTRALIZADA DO FNTSUAS

REUNIÃO DESCENTRALIZADA DO FNTSUAS

31/10/2016 - A Federação Nacional dos Assistentes Sociais vem através deste divulgar e convidar a todos para Reunião Descentr...

Ato político por 10% das receitas brutas da União para a Saú

Ato político por 10% das receitas brutas da União para a Saú

10/07/2013 - 10 DE JULHO: DIA NACIONAL DA MOBILIZAÇÃO PELA COLETA DE ASSINATURAS. Conselheira Nacional de Saúde, representante da FENAS participou intens...

III SEMINÁRIO NACIONAL:  Discussão dos PLs dos Assistentes  Sociais no Brasil

III SEMINÁRIO NACIONAL: Discussão dos PLs dos Assistentes Sociais no Brasil

19/06/2017 - No dia 26 de Agosto de 2017 acontecerá o III Seminário Nacional que visa a discussão dos PLs dos Assistentes  ...

NewsLetter

Cadastre-se e receba informações exclusivas por e-mail