CNTSS/CUT: lideranças e trabalhadores da Seguridade Social participam do “Ocupa Brasília”

23/05/2017

Ato, que acontece nesta quarta-feira, 24/05, quer o fim das reformas da Previdência e Trabalhista e a realização de Eleições Diretas Já!

 

Os trabalhadores vão ocupar Brasília nesta quarta-feira, 24 de maio. “O Ocupa Brasília” é uma iniciativa envolvendo a CUT – Central Única dos Trabalhadores, demais Centrais Sindicais e os movimentos sociais representados pelas Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. A agenda reunirá trabalhadores de todo o país em uma grande Marcha no Distrito Federal para reivindicar a retirada das reformas da Previdência e a Trabalhista das pautas de votações, presentes hoje na Câmara e no Senado, respectivamente, e reafirmar a luta da classe trabalhadora em prol das bandeiras por “Fora Temer!” e por “Eleições Diretas Já!”.

A CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social reiterou a convocação feita pela CUT junto às seus Sindicatos e Federações filiados para que as lideranças mobilizem suas bases para acompanharem a agenda em Brasília. As entidades estão preparando caravanas para participação na Marcha. Serão centenas de trabalhadores das áreas de Saúde, Previdência e Assistência Social de vários Estados que estarão em Brasília para defenderem a pauta das Centrais Sindicais e as políticas de Seguridade Social que estão sendo fortemente atacadas pelas propostas apresentadas pelo governo do ilegítimo Michel Temer.

As entidades ligadas à Confederação estão em permanente estado de mobilização acompanhando as CUTs Nacional e Estaduais nas suas agendas de atos por todo o país. Estes momentos têm sido fundamentais para agregar à pauta das Centrais Sindicais a defesa contra o desmonte proposto por Temer na área da Seguridade Social. As reformas do governo federal, a terceirização e a PEC 55/2016 visam o desmonte das políticas públicas e atingem diretamente os trabalhadores dos setores público e privado com a perda de empregos, precarização nas relações e condições de trabalho e no atendimento prestado à população.

A bandeira pelas Eleições Diretas Já! ganhou ainda maior relevância nos últimos dias em virtude das denúncias contra o presidente Temer (PMDB) e senador Aécio Neves (PSDB) feitas pelos empresários do Frigorifico JBS. Um escândalo sem procedentes em que um presidente da República e um senador foram pegos em gravações cometendo atos de corrupção gravíssimos. A direção da CNTSS/CUT, por meio de seu presidente, Sandro Alex de Oliveira Cezar, divulgou, em 18 de maio, uma nota manifestando indignação frente a esta situação e afirmando a necessidade de mobilização por parte dos trabalhadores e de toda a sociedade por Eleições Diretas Já e contra as reformas trabalhista e Previdenciária.

“Este governo selou seu destino e seu fim com as graves denunciais apresentadas. São fatos que só agregam mais culpabilidade às muitas outras denúncias apresentadas recentemente por meio de investigações da Justiça e da Polícia Federal. Ficou provado que Temer não possui a menor legitimidade e capacidade para governar o povo brasileiro ou conduzir qualquer política de Estado. A classe trabalhadora e os segmentos sociais progressistas estão mobilizados em todo o país para que sejam cumpridas as medidas legais e políticas cabíveis em casos desta natureza. Permaneceremos nas ruas e nos diversos espaços sociais lutando por nossos direitos e para que possamos retomar a legalidade institucional. Fora Temer! e Diretas Já!, “ diz a nota divulgada pela Confederação.

O Ramo da Seguridade Social tem acompanhado as estratégias de resistência contra o governo Temer defendidas pela CUT. Este processo de mobilização foi intensificado desde março, com as atividades nos dias 8, 15 e 31, e se consolidou com a histórica greve de 28 de abril, quando mais de 40 milhões de pessoas participaram em todo o país de atos e mobilizações contra o governo golpista e a retirada de direitos trabalhistas e sociais. Atos em todos os Estados chamados para o domingo, 21 de maio, também levaram para as ruas milhares de pessoas para pedir o fim das reformas e eleições diretas já. A sociedade afirma, assim, que não quer mais Temer no poder e são contrários às suas políticas de destruição da economia e soberania nacional.

José Carlos Araújo

Assessoria de Imprensa da CNTSS/CUT

 

Fonte: Site CNTSS/CUT

 


Veja também

Ato político por 10% das receitas brutas da União para a Saú

Ato político por 10% das receitas brutas da União para a Saú

10/07/2013 - 10 DE JULHO: DIA NACIONAL DA MOBILIZAÇÃO PELA COLETA DE ASSINATURAS. Conselheira Nacional de Saúde, representante da FENAS participou intens...

MINISTÉRIO DO TRABALHO PROIBE IMPOSTO SINDICAL DE SERVIDORES

MINISTÉRIO DO TRABALHO PROIBE IMPOSTO SINDICAL DE SERVIDORES

21/01/2013 - MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO DECIDE: PROIBIDA, A PARTIR DE 2013, CONTRIBUIÇÃO/IMPOSTO SINDICAL PARA SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICO.Esta...

ORIENTAÇÕES PARA GREVE GERAL NO DIA 28 DE ABRIL

ORIENTAÇÕES PARA GREVE GERAL NO DIA 28 DE ABRIL

26/04/2017 - A Federação Nacional dos Assistentes Sociais orienta a categoria em como ajudar na greve geral no dia 28 de abril: EXCETUANDO...

Audiência Pública 25.10

Audiência Pública 25.10

26/10/2016 - A Federação Nacional dos Assistentes Sociais vem através deste divulgar a Audiência Pública da Comiss&atil...

NewsLetter

Cadastre-se e receba informações exclusivas por e-mail