NOTA DE REPÚDIO E INDIGNAÇÃO À 'CURA GAY'

20/09/2017

A FENAS - Federação Nacional dos Assistentes Sociais repudia a decisão liminar proferida pelo Juiz Federal da 14ª Vara do Distrito Federal Waldemar Cláudio de Carvalho, em razão da decisão que prevê fragilizar a resolução 01/1999 do CFP – Conselho Federal de Psicologia.

A luz do código de ética profissional do/a assistente social, com o devido acumulo de reflexões acerca da defesa da democracia, dos direitos civis, o reconhecimento positivo das peculiaridades individuais e sociais, o respeito à diversidade, sendo pilar do nosso compromisso ético-político e da qualidade dos serviços prestados, desde 1986, reafirmamos seus valores fundantes – a liberdade e a justiça social.

A despeito de garantir a liberdade intelectual dos profissionais, a referida decisão permite o tratamento para “reprogramação” sexual de pessoas não heterossexuais, tratando a homossexualidade, transexualidade, lesbianidade e bissexualidade como transtornos de ordem psíquica. Há 27 anos a homossexualidade deixou de ser classificada como doença no rol das patologias da OMS – Organização Mundial de Saúde (17/05/1990).

O avanço dos discursos conservadores em diversos estratos da sociedade e o retrocesso do sistema de garantia de direitos demostram que, ao legitimar o moralismo e legislar pautado em argumentos que ferem a laicidade do Estado, haja vista ser essa uma pauta amplamente defendida por representatividades religiosas, o Poder Judiciário se posiciona de forma cada vez mais desacreditada na defesa dos direitos humanos, inferindo imperícia por parte do referido órgão, desinformando a população e incentivando o fascismo, o ódio e a intolerância.

Reafirmamos que nós, assistentes sociais, atuamos de acordo com nossos princípios fundamentais em defesa imprescindível dos direitos humanos, sexuais e reprodutivos e repudia quaisquer ações imputadas de arbítrio e autoritarismo; empenhamo-nos na eliminação de todas as formas de preconceito, incentivando o respeito à diversidade, participação de grupos socialmente discriminados e discussão das diferenças, sendo assim demonstramos nosso apoio a resolução 01/1999 do CFP. Repudiamos a prática e o incentivo de tratamentos descritos como “cura gay”, carregados por preconceito/discriminação social por orientação sexual em si.

 

Rio de Janeiro, 20 de Janeiro de 2017 

 

 Nota disponível para download em: https://goo.gl/nc5V9a


Veja também

FENAS ASSUME TITULARIDADE NO CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE - CN

FENAS ASSUME TITULARIDADE NO CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE - CN

23/01/2013 - A assistente social Maria Laura Carvalho Bicca, Diretora Primeira Secretária da FENAS,tomou posse como conselheira titular no espaço de Cont...

Nossa posição em Defesa da Classe Trabalhadora do Brasil

Nossa posição em Defesa da Classe Trabalhadora do Brasil

24/04/2015 - A Federação Nacional dos Assistentes Sociais manifesta sua posição em Defesa da Classe Trabalhadora do BrasilAtualmente, a Súmula 331 do Tri...

CERIMÔNIA DE ANÚNCIO DE NOVAS MEDIDAS DO PLANO BRASIL SEM MI

CERIMÔNIA DE ANÚNCIO DE NOVAS MEDIDAS DO PLANO BRASIL SEM MI

19/02/2013 - A diretora de Relações Intersindicais e Formação Sindical da FENAS, Margareth Dallaruvera, e a presidente da CNTSS, Maria Aparecida Farias, ...

GREVE DO DIA 05 DE DEZEMBRO SUSPENSA!

GREVE DO DIA 05 DE DEZEMBRO SUSPENSA!

04/12/2017 -   A Federação Nacional dos Assistentes Sociais anuncia que por conta do adiamento e retirada da pauta de “Reforma ...

NewsLetter

Cadastre-se e receba informações exclusivas por e-mail